quinta-feira, 28 de julho de 2011

Como plantar: Cenoura



Novas variedades permitem o plantio da hortaliça mesmo em regiões de clima mais quente, conferindo resistência a doenças e nematóides

Texto João Mathias
Consultor Nozomu Makishima*





A cenoura chegou ao mercado brasileiro importada da Europa e da Ásia. Hortaliça de bom desenvolvimento sob clima ameno, começou a ser produzida por aqui em áreas mais frescas, como em algumas regiões de São Paulo, Minas Gerais e Paraná. A raiz prefere a variação entre dez e 15 graus para o alongamento e definição da cor alaranjada intensa, o que indica riqueza de caroteno. Já as temperaturas acima de 21 graus provocam a formação de raízes curtas e pigmentação verde ou roxa na parte superior.

No entanto, a pesquisa nacional deu origem a cultivares com bom desempenho também em temperaturas de 18 a 25 graus. As novas variedades apresentam resistências a doenças causadas por fungos e nematóides, o que permitiu o plantio também em regiões e estados onde as temperaturas são mais altas, como Bahia e Goiás.

As cenouras podem ter formato cilíndrico ou cônico. As cilíndricas são do grupo nantes, de origem francesa, recomendadas para o plantio em época fria, devido à sensibilidade a doenças de folhagem. As ligeiramente cônicas pertencem ao grupo brasília. Foram obtidas a partir de um programa de melhoramento para o cultivo no verão, desenvolvido, inicialmente, pela Embrapa Hortaliças. Delas foram geradas pelas companhias de sementes outras cultivares com características semelhantes. A preferência do produtor brasileiro é por raízes de cenouras cilíndricas, lisas, sem raízes laterais ou secundárias, além de uniformes, com comprimento de 15 a 20 centímetros, e com diâmetro entre três e quatro centímetros.

Canteiros para cenoura devem ser montados em área limpa ou com a incorporação de restos culturais. Em grandes plantações, processo de semeadura é realizado através de plantadeiras

De textura macia e paladar agradável, a cenoura é consumida principalmente in natura. Mas é também largamente processada pela indústria para a elaboração das versões em cubo, ralada, em rodelas e minicenouras, inclusive como ingrediente de conserva de seleta de legumes, alimentos infantis e sopas instantâneas. Fonte de vitamina A, cálcio, sódio e potássio, a cenoura fortalece ossos e dentes, ajuda a prevenir a cegueira noturna, combate prisão de ventre e problemas estomacais. Além disso, estimula o apetite, facilita a digestão, ajuda a evitar alguns tipos de câncer e de doenças cardíacas.

Raio X

SOLO: de textura média, com bom nível de matéria orgânica e pH em torno de 6

CLIMA: faixa ideal para germinação entre 20 e 30 graus

ÁREA MÍNIMA: canteiros de 0,8 a 1,4 metro de largura, e de 15 a 30 centímetros de altura

COLHEITA: de 80 a 120 dias após a semeadura

CUSTOS: 40 reais por metro quadrado

Mãos à obra

INÍCIO - Antes do plantio, faça a limpeza da área ou a incorporação dos restos culturais da safra anterior, seguida pela aração, gradagem e levantamento dos canteiros. Eles devem ter de 80 centímetros a 1,40 metro de largura, e de 25 a 30 centímetros de altura, montados a 30 centímetros uns dos outros.

PLANTIO - Sobre os canteiros, trace sulcos com um ou dois centímetros de profundidade e distantes 20 centímetros. A operação pode ser feita manualmente, mas é trabalhosa e pouco eficiente. Para facilitar o trabalho, use uma pequena lata com um furo de cerca de cinco milímetros de diâmetro no fundo, ou um vidro com a tampa furada. Sacuda o recipiente para as sementes caírem nos sulcos. Nas grandes áreas a semeadura é feita com plantadeiras de precisão.

IRRIGAÇÃO - Após o plantio, regue o canteiro para iniciar o processo de germinação. Em pequenas áreas, o sistema de aspersão convencional é o mais adotado, enquanto nas grandes é o pivô central. Em geral, a primeira irrigação deve ser feita até atingir 20 centímetros de profundidade. Do plantio ao raleio, as regas são leves e rotineiras. Nas seguintes, até a colheita, faça as irrigações de acordo com o tipo do solo e condições climáticas.

COLHEITA - Quando as folhas mais velhas amarelam, secam e se curvam, é sinal de que as raízes começaram a amadurecer. A colheita já pode ser iniciada. Essa etapa varia de 80 a 120 dias após a semeadura. O arranquio, a separação das folhas das raízes e a coleta são feitos manualmente. Ao colher as raízes é feita a primeira seleção, com o descarte das unidades defeituosas - cenouras arroxeadas ou esverdeadas, com deformações e rachaduras - , indícios de presença de doenças ou nematóides.



*Nozomu Makishima é pesquisador da Embrapa Hortaliças, Rod. BR-060, km 9, Caixa Postal 218, CEP 70359-970, Brasília, DF, tel. (61) 3385-9000, nozomu@cnph.embrapa.br

Mais informações: Cati - Coordenadoria de Assistência Técnica Integral, Av. Brasil 2340, Caixa Postal 960, CEP 13073-001, Campinas, SP, tel. (19) 3743-3700; EMATER (MG) - Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural, Av. Raja Gabaglia, 1626, CEP 30350-540, Belo Horizonte, tel. (31) 3349-8000.


Fonte: http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC1445316-4529-2,00.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário