terça-feira, 12 de julho de 2011

Como plantar: Maracujá

O pé de maracujá é uma árvore ideal para pequenas propriedades já que necessita de pouco espaço e requer trabalho manual para a polinização

Texto João Mathias


 

É comum ouvir o conselho para comer maracujá ou beber seu suco quando se está preocupado ou com falta de sono. A recomendação é justa. A passiflorina, um princípio ativo com efeito calmante e relaxante, é uma das propriedades naturais da fruta, que só no Brasil tem 150 exemplares nativos das mais de 500 espécies existentes no mundo.

Apesar de tantas variedades, apenas quatro ou cinco delas são cultivadas para fins comerciais no país. A vibrante cor amarela da fruta já é uma referência da sua origem da América tropical.

O maracujazeiro gosta de temperaturas altas e muita luz, com a necessidade de receber 12 horas de luminosidade por dia para florescer a uma carga expressiva. Os estados do Norte e do Nordeste possuem safras bem mais longas do que os da região Centro-Sul, onde os dias são curtos no inverno.

O maracujá é uma fruta ideal para o plantio em pequena propriedade. O seu cultivo exige pouco espaço e requer trabalho manual para realizar a polinização, que pode ser realizada por membros da própria família do produtor. A cultura é indicada para a agricultura familiar, dado o baixo custo por hectare e o rápido retorno financeiro.

Desbastes

O maracujazeiro é planta de crescimento contínuo e vigoroso, que atinge dez metros de comprimento. Deve ser desbastado periodicamente para uma boa distribuição dos ramos laterais e circulação de ar, além de melhorar o estado sanitário da lavoura e conseguir frutos de melhor qualidade.

Antes da poda, as plantas precisam ser adubadas e regadas, mas nunca encharcadas. É importante que haja disponibilidade de água no solo, para que os brotos se desenvolvam adequadamente. Uma semana antes é feita adubação foliar com sulfato de zinco a 0,3%. Pode-se adicionar uréia a 0,5% para aumentar a absorção.

Todos os ramos velhos e improdutivos que saem dos braços principais da árvore precisam ser eliminados. Deve ficar apenas o ramo primário, aquele vertical que atinge o alto da parreira, mais os cordões horizontais que formam um "guarda-chuva".

Após o desbaste, recomenda-se pulverizar o pé de maracujá com fungicida à base de cobre, com repetições regulares. É indicado alternar com uma solução feita à base de cobre e mancozeb a 0,2% do produto comercial, diluída em um pequeno volume de água por uma hora. Agite o líquido para evitar depósito no fundo do recipiente. As mudas são plantadas em covas de 40 x 40 centímetros, com espaçamento de cinco metros entre as plantas e de três metros entre as ruas. Mas é preciso ter cuidado para não ferir a raiz, nem destruir a crosta de terra que a envolve.

O produtor pode fazer suas próprias mudas comprando sementes. Em sacos plásticos pretos com furos de 14 x 28 centímetros, coloque substrato à base de duas partes de terra e duas de esterco de curral bem curtido, além de uma parte de material volumoso, como bagaço de cana, serragem e palha de café.

Adube cada metro cúbico, ou mil litros, da mistura com dois quilos de calcário dolomítico e um quilo de superfosfato simples. Plante em cada recipiente de duas a três sementes, que germinarão em 25 dias, quando se faz o desbaste e mantém no saquinho apenas o embrião mais vigoroso em desenvolvimento. Entre 40 e 60 dias, já pode ser levada para o campo.

Dicas

O maracujazeiro é uma árvore trepadeira e precisa de um suporte para sustentar o seu desenvolvimento. É plantado entre dois mourões de número 12 ou 14 de diâmetro, com 2,5 metros de comprimento - 0,5 metro abaixo do solo - e distantes a cada cinco metros um do outro, sempre com uma unidade a mais da quantidade de plantas. Fixado por dois esticadores nas extremidades, estenda a dois metros de altura um fio de arame galvanizado interligando as madeiras. Conduza para lados opostos dois brotos, que aparecem no ramo do pé de maracujá após um leve desbaste, quando a parte mais alta atingir verticalmente o arame.

Variedades

A maior parte dos pomares é do tipo azedo ou amarelo. É pequena a participação do plantio do maracujá-doce, que ocorre em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Está programado para o segundo semestre de 2005, destinado ao mercado de frutas frescas e de exportação, o lançamento de uma nova cultivar de maracujá-roxo pelo IAC.

O maracujá-azedo possui cultivares comerciais no mercado, como as híbridas IAC-273 e IAC-277, que produzem frutos maiores e mais pesados. Para a agroindústria, é recomendada a IAC-275, dotada de casca mais fina, maior redimento de suco e de brix - medida de açúcar do fruto -, além de polpa com coloração mais intensa.

Dados Gerais

Dados gerais

Espécie: família Passifloraceae

Plantio: meses quentes no Sudeste, e o ano inteiro nos estados ao Norte.

Solo: textura média ou arenoso, profundos e bem drenados; evite utilizar baixadas, solos pedregosos e com possibilidade de encharcamento

Clima: quente, temperaturas entre 20 e 32 graus, desde que sojo seja úmido

Uso culinário: suco, geléia, mousses, sorvete, molho para carne e peixe

Uso medicinal: calmante, rico em cálcio, fósforo, ferro, vitaminas A, C e complexo B; da casca é feita farinha que controla diabetes e reduz colesterol

Colheita: janeiro a julho no Centro-Sul

Área mínima: dez plantas em 150 metros quadrados

Onde comprar: Instituto Agronômico de Campinas (IAC), Departamento de Sementes, Mudas e Matrizes da Cati; Citro Setin Mudas, Vila Piza, Rua General Rondon, 923, Limeira, SP, tel. (19) 3441-6233, contato@citrosetin.com.br

Investimento: um real a muda, 40 reais a dúzia de lascas sem tratar, arame, adubo, esterco; custos iniciais de 200 reais




Consultora: Laura Maria Molina Meletti, pesquisadora do IAC, C.P. 28, CEP 13001-970, Campinas, SP, tel. (19) 3242-4246, lmmm@iac.sp.gov.br

Mais informações: Instituto Agronômico (IAC), Av. Barão de Itapura, 1.481, C.P. 28, CEP 13020-902, Campinas, SP, tel. (19) 3231-5422; Departamento de Sementes, Mudas e Matrizes, da Cati, Av. Brasil, 2340, C.P. 960, CEP 13073-001, Campinas, SP, tel. (19) 3743-3700; Citro Setin Mudas, Vila Piza, Rua General Rondon, 923, Limeira, SP, tel./fax (19) 3441-6233, contato@citrosetin.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário