segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Como plantar: Mangaba

A produção da fruta requer regiões quentes e com alta luminosidade, mas vai bem mesmo em solos pobres e com carência de água

Texto João Mathias
Consultor Josué Francisco Silva Junior*



A mangaba é desconhecida da maioria dos brasileiros. É uma fruta de sabor único, muito consumida no norte e no nordeste do país, in natura, e como polpa para sucos e sorvetes.Tradicionalmente, a produção é feita sob regime extrativista no litoral nordestino e no cerrado. Atualmente, porém, já é encontrada em pequenas lavouras nos estados de Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte, Bahia e Goiás.

No passado, o látex extraído do tronco da mangabeira tinha valor comercial. No entanto, o produto obtido da seringueira - com propriedades superiores - dominou o mercado e engoliu concorrentes; agora, apenas umas poucas tribos indígenas do Amazonas continuam extraindo o látex da mangabeira, utilizado em produtos medicinais. A produção de mangaba é considerada adequada a pequenos agricultores. A planta tem resistência a solos pobres e boa adaptação a restingas e tabuleiros costeiros. Áreas onde a temperatura é elevada e bem iluminada são suas preferidas, pois contribuem para um melhor desenvolvimento vegetativo e produção. A mangabeira pode ainda ser consorciada com outras culturas: nas entrelinhas da área de plantio e a 1,5 metro da copa da árvore, podem ser cultivados feijão, melancia, abóbora, mandioca, leguminosas e outras fruteiras, como o coqueiro.

Para o consumidor, a fruta também tem características interessantes. É rica em ferro e conta com boa quantidade de vitamina C. Além de polpa para suco e sorvete, ainda se pode preparar com a fruta compotas, cremes, pudins, licor e até vinagre.


 
Raio X

SOLO: arenoso e profundo

CLIMA: quente e úmido, entre 24 e 26 graus

ÁREA MÍNIMA: um hectare (cerca de 200 árvores)

COLHEITA: três anos após o plantio

CUSTO: cada muda custa de dois a três reais

Mãos à obra

INÍCIO - a planta é resistente, tolerante à falta de água por períodos curtos, e apresenta bom desenvolvimento em regiões com temperatura alta, na faixa entre 24 a 26 graus.

PLANTIO - a mangabeira se adapta bem a solos pobres, arenosos e profundos, e pode ser plantada em diferentes épocas do ano. No início do verão ou fim das chuvas, período de menor incidência de doenças. Recomenda-se cerca de quatro litros de água a cada cinco dias.

PROPAGAÇÃO - deve ser feita seis meses antes do plantio definitivo, por semente ou por enxertia. As sementes são extraídas dos frutos maduros e sadios; devem ser mantidas em repouso, por 24 horas à sombra, sobre papel absorvente ou jornal. Selecione as mais saudáveis e plante-as no máximo em até três dias para que não se desidratem. Use sacos plásticos de 12 x 18 centímetros ou 14 x 16 centímetros, perfurados. Preencha-os com substrato arenoso e faça dois ou três buracos de um centímetro de profundidade para acomodar uma semente em cada. Mantenha o material coberto até o surgimento das mudas. Faça o desbaste quando elas tiverem cerca de sete centímetros.

TRANSPLANTIO - quando as mudas atingirem de 15 a 30 centímetros, ou contarem com pelo menos dez folhas, é hora de transplantá-las para o local definitivo. Certifique-se de que o solo esteja úmido para facilitar o pegamento. Casca de coco, galhos finos, palhas e folhas podem ser utilizados como cobertura morta. Retire o saco plástico com cuidado, para não danificar o torrão e as raízes.

COVAS - Abra covas de 30 x 30 x 30 ou 40 x 40 x 40 centímetros, com espaçamentos de 7 x 6 ou 7 x 7 metros entre covas e linhas. Retire metade de terra, separe, depois retire o restante; no preenchimento, após colocar a muda, inverta a posição das duas porções de terra. Isso porque a camada superficial é mais rica em nutrientes; se colocada na parte de baixo da cova, favorece o crescimento das raízes. É indicado fazer a adubação de fundação, com a adição de um fertilizante com fósforo. Durante o período das chuvas, faça novas aplicações na área de projeção da copa, no solo, em três parcelas. Não use esterco de curral, que pode matar a planta.

TUTORAMENTO - Faça um piquete com 50 a 80 centímetros de altura junto à planta. Amarre-a com um cordão.

PODA - mantenha a mangabeira limpa com a retirada manual de plantas invasoras ao redor da árvore. Quando atingir de oito e 12 meses, ou 1,5 metro de altura, deve ser feita a poda de formação. Corte o ramo principal para reduzir o crescimento vertical e estimular o desenvolvimento dos ramos laterais. Elimine também os galhos rasteiros. Depois do período de produção, é a vez de limpar os galhos secos e doentes.

PRODUÇÃO - a mangaba é colhida ainda verde, ou "de vez", com o auxílio de um gancho ou mesmo manualmente. O amadurecimento ocorre de dois a quatro dias depois, tempo para transportar a fruta com segurança para o local de venda. Se o fruto cair do pé, está pronto para o consumo entre 12 e 24 horas.



*Josué Francisco Silva Junior é pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros, UEP do Nordeste, Rua Antônio Falcão, 402, CEP 51020-240, Recife, PE, tel. (81) 3325-5988, ramal 204, josue@cpatc.embrapa.br

ONDE COMPRAR: mudas podem ser adquiridas na Embrapa Cerrados, Planaltina, DF, tel. (61) 3388-9854; Deagro - Departamento de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe, tel. (79) 3234-2677; Emepa - Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba S.A., João Pessoa, PB, tel. (83) 3231-4499; e Raul Dantas Vieira Neto, viveirista, Aracaju, SE, tel. (79) 9982-2969.

MAIS INFORMAÇÕES: várias publicações gratuitas podem ser encontradas no site www.cpatc.embrapa.br da Embrapa Tabuleiros Costeiros, Av. Beira-Mar, 3250, CEP 49025-040, Aracaju, SE, tel. (79) 4009-1300l


Nenhum comentário:

Postar um comentário