quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Energia gerada por estrume de vaca é economicamente viável

Cientistas de Vermont, nos Estados Unidos, concluíram que é possível abastecer parte do estado com o combustível alternativo

por Anderson Estevan.  Fonte: National Geographic Brasil Online
 
Gado bovino
Esterco produzido diariamente por uma vaca é o suficiente para alimentar duas lâmpadas de 100 wattz por 24 horas
Um estudo recente apresentado por pesquisadores do estado de Vermont, nos Estados Unidos, sugere que a eletricidade gerada a partir do estrume de vacas pode ser economicamente viável.
Durante sete anos, os cientistas pesquisaram seis propriedades leiteiras e conseguiram produzir 12 milhões de quilowatts de eletricidade por ano. O estado é conhecido no país por sua grande área agrária, com muitas vacas e fazendas leiteiras.
O processo de produção de energia se dá de maneira simples. O esterco é depositado em um digestor anaeróbico e lá permanece por 21 dias, em uma temperatura de 100 graus. As bactérias ali contidas convergem os resíduos em gás metano, que sobe pela tubulação e alimenta um motor de gás natural modificado, que por sua vez produz eletricidade. Os resíduos de uma vaca – cerca de 30 kg por dia, são suficientes para alimentar duas lâmpadas de 100 wattz por 24 horas.
O consumidor que optar pelo Power cow - como é chamado o combustível, poderá comprar sua energia com as fazendas participantes, tornando viável uma nova fonte energética e de uso renovável. Para o estudo, 4.600 clientes adotaram o sistema, pagando um adicional de US$ 0,04 por quilowatt-hora, ou cerca de US$ 470 mil dólares por ano.
Os resíduos sólidos que saem do digestor são processados e vendidos como fertilizante para fazendeiros da região.O estudo conclui que o sucesso do Power cow depende de uma série de fatores. Para torná-lo viável, é necessária uma grande parceria entre órgãos governamentais, consumidores e fazendeiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário