domingo, 23 de outubro de 2011

Horta em vaso: você pode plantar

Preparar receitas e chás com ervas colhidas no quintal é especialmente saboroso: elas estão sempre frescas, livres de agrotóxicos e seu cultivo pode render bons momentos de descontração. A falta de um canteiro de terra não é problema. Em vasos, as plantas se desenvolvem muito bem e, de quebra, compõem arranjos ornamentais.
AGRADO ÀS SENSAÇÕES
Como um jardim das delícias, a horta tem seu quê de sedução. Encanta pelas cores, pelas texturas e pelos aromas. Por isso, o paisagista Gilberto Elkis, autor do projeto que ilustra esta reportagem, sempre dá um tratamento ornamental a esse tipo de espaço. “Mesmo em uma varanda pequena ou em um quintal que tenha outras plantas, o interessante é criar um novo ambiente para as ervas”, diz. Neste caso, ele optou por plantá-las em vasos, e não em canteiros, e mandou fazer uma plataforma para elevar os recipientes de cerâmica. Flores foram associadas aos temperos. A lavanda, junto ao alecrim e à sálvia, dá origem a uma atmosfera francesa. Prefere outro estilo? “Em uma horta caipira, por exemplo, não podem faltar coentro e louro”, sugere.

POR ONDE COMEÇAR

Antes de montar sua horta, é preciso escolher bem o local. Para crescerem viçosas, as hortaliças precisam de sol por, no mínimo, quatro horas diárias. “Com pouca luz, as plantas ficam vulneráveis ao ataque de pragas”, explica Silvia Jeha, do viveiro Sabor de Fazenda, em São Paulo. Resolvida essa premissa, qualquer cantinho está de bom tamanho. Mesmo em uma parede, em cerca de 1 m², é possível colocar três jardineiras. “Procure apenas escolher recipientes de pouca profundidade e pendure-os de modo desalinhado. Assim, o de cima não atrapalha a incidência de sol no de baixo”, indica Silvia. Planejar compras em uma loja de jardinagem é o segundo passo. Serão necessários suportes, terra adubada, areia, argila expandida ou manta de drenagem, pedriscos ou casca de pínus e, claro, mudas. Conheça as principais características de algumas delas abaixo.
{txtalt}
Alecrim
Assim como o manjericão e a pimenta, ele forma uma touceira e pede vasos redondos e fundos, entre 30 e 40 cm de profundidade. Em recipientes rasos, não dura mais do que uma colheita.
{txtalt}
Orégano
A raiz pouco profunda o libera para ser plantado em vasos e jardineiras menores. Faz um bom casamento com tomilho, alecrim e segurelha, uma espécie bastante usada na culinária francesa.
{txtalt}
Hortelã
Deve ser plantada sempre sozinha. “Suas raízes são agressivas. Ou matam as plantas próximas ou sofrem por falta de espaço”, diz o agrônomo Marcelo Noronha, da Minha Horta, em São Paulo.
{txtalt}
Tomilho
É ótima companhia para o louro. “Você pode plantar o louro no centro do vaso e o tomilho como forração”, ensina Silvia Jeha. Ambos aceitam o plantio em recipientes pequenos.
{txtalt}
Manjerona
Temperos rasteiros, como ela e a capuchinha, vão bem em jardineiras de 15 a 20 cm de profundidade. Por serem resistentes, estão entre os mais fáceis de cultivar.
SEGREDOS DO SUCESSO
As recomendações a seguir vão colaborar para que sua horta mantenha-se viçosa pelo máximo de tempo possível.
• Misture espécies com moderação. Nem todas se dão bem e, no vaso, o estresse é maior, pois os nutrientes acabam logo. “Um bom kit é o de sálvia, tomilho e alecrim, com 15 cm entre eles. Todos gostam de pouca água e terra arenosa”, diz Silvia Jeha.
• Antes de regar, perfure a terra com o dedo. Se estiver úmida, não molhe. Se precisar regar, ponha água até escorrer pelo dreno.
• Escolha vasos com mais de um furo de drenagem. “Após 20 minutos da rega, o ideal é que a terra não continue muito úmida. O excesso de água aumenta os riscos de fungos e doenças, que prejudicam as raízes”, afirma Marcelo Noronha.

MANUTENÇÃO CERTEIRA

A cada três meses, coloque o equivalente a uma mão de adubo em cada planta e revolva a terra com cuidado para não prejudicar a raiz. Lembre que uma horta em vasos dura de seis meses a um ano. Quando o ciclo da planta chega ao fim, é aconselhável trocá-la por outra. Se antes havia hortelã, agora plante cebolinha, por exemplo. Essa prática confunde as pragas.

O VASO EM CAMADAS

Forre o fundo do recipiente com cacos de cerâmica ou argila expandida. Por cima, coloque manta de drenagem ou uma camada de areia grossa, que facilitam o escoamento da água. Cubra com terra adubada. Cavoque e deposite a muda. Por fim, para manter o solo úmido, forre com casca de pínus ou folhas secas.
{txtalt}
Fonte: Planeta sustentável
 
Vasos dispostos sobre um apoio de tijolos facilitam a colheita e a rega, ficam protegidos dos animais de estimação e deixam o ambiente atrativo e leve.
Vasos dispostos sobre um apoio de tijolos facilitam a colheita e a rega, ficam protegidos dos animais de estimação e deixam o ambiente atrativo e leve.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário