terça-feira, 9 de abril de 2013

Girassol



Adaptada às várias regiões do país para a produção de semente, a planta também tem apelo como espécie ornamental 

Texto João Mathias
Consultora: Ana Cláudia Barneche de Oliveira*


O peculiar movimento de girar sua inflorescência em direção ao sol inspirou o nome desta planta de proporções exageradas. Firmado como artigo de cultivo em larga escala para a produção de grãos e óleo, o girassol (Helianthus annuus L.) é também utilizado na ornamentação de jardins e em arranjos para decoração.
O grande porte da planta, que pode chegar a 1,80 metro de altura, nem sempre agrada a esse tipo de consumo. Por isso, a partir de técnicas de cultivo e de melhoramento genético, surgiram versões de girassóis menores, mais compactos, que podem ser cultivados e comercializados em vasos.
A Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, desenvolve ainda cultivares ornamentais estéreis. Produzido em grande quantidade, o pólen pesado e denso da planta cai facilmente da flor e acaba sujando o local, além de causar alergia em algumas pessoas. Outra frente de pesquisa do órgão é o desenvolvimento de sementes capazes de gerar exemplares com pétalas de tonalidades diferentes do tradicional amarelo.
O girassol tem boa adaptação ao clima e é tolerante à seca, mas deve ser cultivado em locais com disponibilidade de irrigação. Dotado de um sistema radicular que se aprofunda no solo, tem alta capacidade de absorção de água e nutrientes. Porém, a planta é sensível à compactação do solo e prefere terrenos melhorados.
O grão pode ser utilizado para consumo animal, extração de óleo e obtenção de farinhas que servem como ingrediente para a produção de pães e outros alimentos. A plantação de girassol ainda pode servir de base para a produção de mel de abelhas.
Natural da América (há controvérsias sobre o local de origem, que pode estar nos Estados Unidos e México ou no Peru) e introduzida na Europa no século XVI, a planta é hoje cultivada nos cinco continentes e tem sua importância renovada pela crescente busca por fontes renováveis de energia. Isso porque seu óleo, além de ser saudável para a alimentação humana, com propriedades que reduzem o nível de colesterol, também é matéria-prima para a fabricação de biodiesel.
Raio X
SOLO: bem-drenados, não compactos e férteis
CLIMA: temperado
ÁREA MÍNIMA: um canteiro
COLHEITA: 50 dias após o plantio
CUSTO: 64 centavos o envelope com sementes
Mãos à obra
INÍCIO - há no mercado variedades de polinização abertos e híbridos disponíveis para os interessados em plantar. Apesar de mais uniformes e com potencial para produzir mais, os híbridos têm sementes mais caras em relação ao outro tipo de variedades. Para a produção de flor de corte, devem ser adquiridas as cultivares unicapituladas, ou seja, as que produzem apenas uma flor. Para jardins, são recomendadas as plantas que originam múltiplas flores.
VARIEDADES - novas opções estão surgindo no mercado, com cores e tamanhos diferentes do original. As variedades de girassol mais conhecidas são as de pétalas amarelas, com variações apenas no centro, que pode ser claro ou escuro.
PLANTIO - o girassol pode ser plantado até em quintais diretamente no canteiro, sejam a céu aberto ou em estufa. Coloque três sementes em cada pequena cova, com quatro centímetros de profundidade. Irrigue uma vez por semana.
ADUBAÇÃO - depende da fertilidade do solo. Em geral, são indicados de 40 a 60 quilos por hectares de nitrogênio, de 40 a 80 quilos de fósforo e 40 a 80 quilos de potássio. É importante fazer, seis meses antes do plantio, a correção de acidez do terreno com o uso e calcário.
ESPAÇAMENTO - em um canteiro de dez metros de comprimento e dois metros de largura, deixe espaço de 50 centímetros entre linhas e de 25 centímetros entre covas nas linhas. Com essas medidas, o cultivo pode gerar cerca de 160 flores.
TRATOS - evite ataque de ervas daninhas nos primeiros 30 dias do cultivo. Após esse período, a plantação consegue manter a produtividade mesmo com a incidência de novas infestações. Outras pragas do girassol são vaquinha, lagarta-preta e percevejos. Como não há por aqui registro de inseticidas para o combate dos parasitas, recomenda-se um monitoramento freqüente do plantio para impedir a propagação. Entre as doenças, as mais comuns são a alternária, que se prolifera em clima quente e úmido, e a podridão-branca ou mofo branco (clima frio e úmido), que pode ser inibida com a rotação de culturas de gramíneas.
PRODUÇÃO - após cerca de 50 dias do início do plantio, as flores começam a abrir, quando devem ser colhidas. Mantenha a planta com a base amarrada e dentro da água. O transporte deve ser rápido e com cuidado, pois se a comercialização passar de 15 dias, o girassol começa a murchar.

*Ana Cláudia Barneche de Oliveira é pesquisadora da área de melhoramento da Embrapa Clima Temperado, tel. (53) 3275-8147,barneche@cpact.embrapa.br
Onde comprar: Isla Sementes (51) 2136-6600; Agristar (24) 2222-9000; no site da Embrapa Soja - www.cnpso.embrapa.br - podem ser consultadas outras empresas que comercializam sementes de girassol

Nenhum comentário:

Postar um comentário