domingo, 9 de junho de 2013

Como fazer mudas de Pitaia

 
Nome científico:
- Cereus undatus (sinonímia: Hylocereus guatemalensis, H.undatus) – pitaya amarela e polpa branca – encontrada no Caribe e Ìndias Ocidentais.
- Hylocereus costaricensis – pitaya vermelha de polpa vermelha – encontrada na Nicarágua, Costa Rica e Panamá.
- Selenicereus megalanthus  – pitaya amarela – encontrada na Bolívia, Colômbia, Equador e Peru.
- Selenicereus setaceus  – pitaya pequena ou saborosa – encontrada na Argentina, Bolívia, Brasil e Paraguai.
 Características:
- A pitaya é uma planta perene, rústica da família das cactáceas, muito bem adaptada a climas secos ou semi-áridos.
- Originária do México tropical, Colômbia e das Antilhas.
- Cresce agarrando-se a muros e arvores, ou qualquer outro tutor que encontrar disponível, pois, trata-se de uma planta trepadeira que necessita de tutores para se instalar.
- As flores são grandes, brancas, tubulares, (hermafroditas).
- Os frutos são arredondados ou alongados, com 10 a 12 centímetros de diâmetro, quando maduros, a casca pode apresentar-se nas cores: roxas, amarelas ou rosadas.
- A polpa tem sabor suave e muito agradável.
Propagação pelo método de estaquias:-
- A propagação é feita por estaquia das folhas segmentadas.
- Recortar estacas com aproximadamente meio metro de comprimento.
- Enterrar as estacas até a sua metade.
- A profundidade das covas deverá  ser em média de 25 centímetros.
- Cada planta deverá receber um mourão em forma de tutor,  cuja medida acima do nível do solo deverá girar em torno de dois metros de altura.
- O espaçamento entre plantas deverá ser de aproximadamente 1 metro.
- Cerca de um mês aparecem os primeiros brotos.
Solo:
- Planta resistente ao sol, pouco exigente quanto à fertilidade do solo, suporta períodos de seca prolongados, mas para que a planta se torne produtiva é necessário plantá-la em solo fértil, com adubações sazonais, além de manter constante a umidade, sem encharcamento.
Nome popular:
- Pitaia, (no Brasil), “night blooming” (nos EUA), “pitajaja” (em Cuba), “flor de cáliz” (na Colômbia), “tasojo” (no México), “dragon fruit” (internacional).
Utilidade:
- A polpa do fruto pode ser consumida in natura, no preparo de refrescos, sorvetes, saladas, aperitivos, iogurtes, mousses, geléias e doces.
- Os botões florais, ainda fechados, poderão ser cozidos e e servidos à mesa, como um vegetal de sabor agradável.
  Propriedades químicas:
Conforme análise de laboratório a cada 100 gr da polpa de pitaya, contém:
Ácido ascórbico – 25.0mg
Cálcio                  – 6.0mg
Calorias               – 36.0
Carboidratos       – 9.2g
Proteínas             – 0.5g
Fibras                  - 0.3g
Fósforo               – 19.0mg
Gorduras            - 0.1g
Ferro                   - 0.4mg
Niacina               – 0.2mg
Uso medicinal:
- Segundo a farmacopéia popular o consumo de pitaya ajuda nos processos digestivos.
-Tem Propriedades antioxidantes que previne os radicais livres que causam câncer.
- Sua ingestão diária ajuda a baixar os níveis de colesterol e controlar a alta pressão arterial.
- Também são atribuídos a ela, propriedades afrodisíacas e curativas, em especial da gastrite.
Tratos culturais:
- A planta não requer muitos cuidados, pois as ervas invasora não a incomodam.



Mais informações em:
http://www.editora.ufla.br/upload/boletim/tecnico/boletim-tecnico-92.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário