terça-feira, 3 de junho de 2014

Como criar falcão

Sem regulamentação para o esporte de caça, a falcoaria restringe-se à prática eficiente de reabilitação de aves de rapina e controle de fauna

POR JOÃO MATHIAS | CONSULTOR MILTON MELLO*

como_criar_falcao (Foto:  )

Como medida de segurança, os aeroportos Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), e da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), adotaram falcões para evitar incidentes nos pousos e decolagens de aeronaves. Treinadas, as aves de rapina capturam no entorno das pistas pica-paus, quero-queros, pombos, corujas e outras aves que oferecem risco de colisão com as turbinas dos aviões. Embora ajam pelo apurado instinto de predador, os falcões acabam trocando as presas vivas por um pedaço de carne oferecido pelo profissional que monitora os voos.
Proibido pela legislação brasileira, o esporte de caça a animais praticada por falcões é o principal motivo da criação em outros países. Sem regulamentação do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis) para a falcoaria, os criadores brasileiros têm a atividade como um hobby, fazendo simulações, e para atender ao mercado de pet – animal de estimação.
Com autorização do Ibama, a ABFPAR (Associação Brasileira de Falcoeiros e Preservação de Aves de Rapina) utiliza as técnicas da falcoaria para realizar trabalhos de reabilitação de aves de rapina oriundas do Cetas (Centro de Triagem de Animais Silvestres), zoológicos e Polícia Ambiental. Outra atividade que se vale das habilidades do pássaro é o controle de pragas urbanas e rurais, indicando um comércio em potencial para quem se dedica ao manejo. Trata-se de uma alternativa eficiente, por exemplo, no combate a infestações de pombos em silos e armazéns, espantando os invasores sem matá-los.
O treinamento do pássaro, no entanto, exige paciência. Inicia-se com o amansamento e o convívio doméstico do falcão, seguido de repetidos exercícios de voo livre, partindo e retornando para o braço do treinador.
Os falcões legítimos pertencem ao gênero Falco, destacando-se pelas características físicas particulares: olhos castanho-escuros e narinas arredondadas, com formação interior que permite à ave respirar mesmo quando mergulha em um voo veloz para realizar um ataque.
De asas longas e cauda curta, eles são ágeis, com capacidade para executar manobras radicais no ar. Os dedos são garras adequadas para não deixar as presas escaparem. Na natureza, alimentam-se de animais vivos, por conta da vocação de ave de rapina, considerada responsável pela manutenção do equilíbrio ecológico do meio em que vivem.
falcao_como_criar (Foto:  )
 RAIO X
CRIAÇÃO MÍNIMA: 5 casais de espécies diferentes
CUSTO: o preço do falcão-de-coleira (Falco femoralis), um dos mais comercializados aqui, oscila entre R$ 2.000 e R$ 2.500
RETORNO: pode variar, pois o início da atividade depende de regulamentação do criadouro
REPRODUÇÃO: ocorrem duas posturas por ano com 3 a 6 ovos cada
MÃOS À OBRA
INÍCIO - 
Falcões podem ser comprados em criadouros que tenham documentação regularizada, que também tem de ser providenciada pelo novo criador. O estabelecimento deve possuir autorização do Ibama. Além disso, somente se tiver permissão específica do órgão do governo, um profissional da atividade poderá realizar o treino das aves envolvendo perseguição de animais silvestres. A recomendação é começar com exemplares de variadas espécies, para oferecer um leque grande de opções para o mercado.
AMBIENTE - Após um período de adaptação, os falcões podem conviver em locais que tenham movimento, desde que não seja em excesso, mas é importante que o abrigo esteja localizado em local escuro e silencioso, para as aves descansarem. Para a realização dos voos, têm preferência por áreas abertas e regiões de montanhas. Os falcões não gostam de condições climáticas extremas, por isso necessitam de proteção em regiões ou períodos de altas ou baixas temperaturas.
INSTALAÇÕES VIVEIROS - feitos de madeira e telas de arame são apropriados para acomodar falcões. O tamanho depende da quantidade de aves e das espécies na criação, mas não necessita de muito espaço. Coloque dentro do viveiro poleiros de aproximadamente 2 m por 2 m, para conforto dos falcões. O diâmetro do poleiro também deve ser adequado para as espécies criadas. As diversas medidas da instalação podem ser obtidas com um criador experiente.
EQUIPAMENTOS - No caso de o criador também ser treinador dos voos, são necessários alguns acessórios. Eles ficam mais dóceis com os olhos cobertos, e recomenda-se o uso de capuz durante o deslocamento até o local do treino. Objetos que se assemelham às presas condicionam os falcões e podem ser adquiridos em lojas de produtos agropecuários. Para se comunicar com a ave, utilize um apito. Há ainda como localizar a criação a uma distância de dez quilômetros por meio de um receptor em conexão com um transmissor colocado no animal.
ALIMENTAÇÃO - Codornas e camundongos são a base da alimentação. Antes de serem servidos, os pequenos animais devem ser sacrificados de forma rápida e indolor. As refeições podem ser complementadas com pedaços de carne bovina e de frango. Também reforce a dieta fornecendo aminoácidos, vitaminas, minerais e substâncias nutritivas.
REPRODUÇÃO - Ovíparos, os falcões precisam de um ninho para chocar os ovos. O acasalamento ocorre, em geral, a partir dos dois anos. Espécies fáceis de reproduzir, como a Falco sparverius, podem procriar com um ano de idade. Embora variem entre os falcões, em geral, ocorrem duas posturas ao ano, com cerca de três a seis ovos cada uma. Os primeiros alimentos para os filhotes são fornecidos diretamente pela mãe, mas o macho colabora na busca pela comida.
*Milton Mello é diretor técnico da ABFPAR (Associação Brasileira de Falcoeiros e Preservação de Aves de Rapina), Estrada Francisco da Cruz Nunes, 10.868, Itaipu, Niterói (RJ), CEP 24340-000, tel. (22) 9888-6995, milton@raptorcontroleambiental.com.br
Onde adquirir: Criadouro Enfalco, tel. (34) 3225-1613, enfalco@yahoo.com.br;  e Criadouro Fukui, tel. (21) 8341-5123, fukui@gbl.com.br
Mais informações: para orientações sobre autorização de criação de animais exóticos e silvestres, entrar em contato com a Divisão de Fauna da superintendência mais próxima. O número para contato pode ser encontrado em http://www.ibama.gov.br/institucional/ibama-nos-estados
http://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/como-criar/noticia/2013/12/como-criar-falcao.html