sábado, 26 de julho de 2014

Como plantar azedinha

Pouco difundida no mercado, a folhosa de sabor levemente ácido tem apelo comercial por ser alimento muito nutritivo

POR JOÃO MATHIAS

como_plantar_azedinha (Foto: Thinkstock)


Em outubro passado, foi lançado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) o Manual de Hortaliças Não Convencionais, material elaborado por profissionais de várias instituições de pesquisas e desenvolvimento do país com o objetivo de incentivar a demanda de hortaliças e variedades locais. Cultivados em boa parte por agricultores familiares em pequenas áreas e para consumo próprio, esses alimentos ainda podem gerar renda ao produtor se aproveitado o apelo comercial da importância nutricional que possuem, como fonte de vitaminas, sais minerais e fibras.
Folhosa dotada de um agradável e estimulante sabor ácido, assim como o próprio nome sugere, a azedinha (Rumex acetosa) é uma das hortaliças contempladas no manual. Fresca e picada, é ótima para saladas e sucos; quando refogada, é usada para incrementar sopas e molhos. Além de ser alimento saboroso e nutritivo para a dieta do produtor, tem mercado consumidor em potencial e que pode incrementar o orçamento de quem comercializá-la.
A azedinha tem bom desenvolvimento em regiões de clima ameno, temperatura que ocorre entre os Estados do Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Desde que haja umidade, seu cultivo pode ser realizado o ano inteiro. Também são encontrados plantios esporádicos da hortaliça em áreas de altitude – acima de 1.000 metros – no Centro-Oeste. Embora não se saiba ao certo a origem da planta, há exemplares em estado silvestre na Europa e na Ásia.
Apesar de rústica e de poucas exigências, a azedinha necessita de água, por ser uma herbácea perene, sobretudo nos meses de seca. Boa condução da lavoura também se consegue com o desmembramento dos propágulos das touceiras, quando as plantas estiverem muito adensadas, e o monitoramento quanto à infestação de formigas cortadeiras, cupins e besouros desfolhadores (vaquinha e idiamim). Como é geralmente cultivada em áreas pequenas, os tratos com a hortaliça são feitos manualmente.
A azedinha atinge até 20 centímetros de altura, formando touceiras com dezenas de propágulos – estrutura que se desprende da matriz para dar origem a uma nova unidade geneticamente idêntica (clone). A seleção e a manutenção de variedades locais resultaram em pequenas modificações: folhas mais ou menos largas, diversos tons de verde e paladar diferente quanto à acidez.

Mãos à obra
>>> INÍCIO 
As mudas de azedinha são, em geral, obtidas junto a agricultores familiares. Porém, como trata-se de uma planta ainda pouco difundida, há a alternativa de solicitar mudas em instituições de pesquisa e desenvolvimento que estão promovendo o cultivo de hortaliças não convencionais. Atenção à sanidade e ao vigor das mudas. Faça uma desinfestação por imersão em solução de água sanitária a 5% por um minuto. Em seguida, enxague- as com água limpa.
>>> AMBIENTE Clima ameno é o ideal para o plantio de azedinha, que se desenvolve bem em temperaturas entre 5 ºC e 30 ºC. Acima ou abaixo desse intervalo, o crescimento da hortaliça é prejudicado, por não tolerar calor excessivo e ter as folhas reduzidas quando o frio se intensifica.
>>> PLANTIO Bem drenado, não compactado e com bom teor de matéria orgânica deve ser o solo para o cultivo da azedinha. Para a propagação, desmembre os propágulos das touceiras e plante-os em recipientes, para depois transplantá-los, ou direto no local definitivo. O cultivo pode ser realizado em qualquer época do ano, caso seja em região onde predomina o clima ameno e haja umidade para o desenvolvimento da planta. Março a julho são os meses recomendados para o plantio de azedinha em regiões tropicais, com verão quente e inverno ameno.
>>> ESPAÇAMENTO Mantenha de 20 a 25 centímetros de distância entre plantas, que podem ser acomodadas em canteiros semelhantes aos utilizados para o cultivo de alface, com 1 a 2 metros de largura por 10 a 15 centímetros de altura. Faça aração e gradagem do solo, além de realizar a análise para aplicação de calcário. Indica-se pH entre 5,8 e 6,3. Se for necessário corrigir a acidez, faça com pelo menos 60 dias de antecedência do plantio.
>>> ADUBAÇÃO Como a azedinha não tem uma adubação específica, utilize pela metade a mesma destinada para o cultivo de alface. No plantio, recomenda-se até 200 quilos por hectare de P2O5; 60 quilos por hectare de K2O; 20 quilos por hectare de N; e 25 toneladas por hectare de esterco de curral curtido, ou, preferencialmente, compostado.  Recomenda-se a aplicação de 20% de K e de N no plantio e o restante parcelado mensalmente a partir da primeira colheita.
>>> CUIDADOS Embora a azedinha não seja uma planta exigente, por ser rústica, é bom capinar e irrigar o plantio de acordo com a necessidade. Como é uma hortaliça perene, no período seco é preciso aumentar as regas. No caso de infestação de pragas, o controle pode ser manual, por meio de catação, ou com aplicação de caldas repelentes ou inseticidas. Se for muito alta, recomenda-se podar as partes mais atacadas e renovar os canteiros.
>>> PRODUÇÃO Varia de dois a três maços, com aproximadamente 100 gramas, por metro quadrado por semana. A colheita ocorre a partir de 50 a 60 dias após o plantio. Retire as folhas à medida que atingem de 10 a 20 centímetros ao longo de seis meses, período em que os canteiros voltam a ser renovados. Duram um dia para o consumo, mas, se bem acondicionadas, aumentam o tempo de vida útil. Quando acomodadas em bandejas de isopor com filme plástico, sacos plásticos ou recipiente fechado, podem ser mantidas na geladeira por até cinco dias.

Raio x
Solo: 
bem drenado e com muita matéria orgânica
Clima: ameno
Área mínima: canteiro de horta
Colheita: de 50 a 60 dias após o plantio
Custo: em geral, as mudas são repassadas entre agricultores familiares

http://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/como-plantar/noticia/2014/01/como-plantar-azedinha.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário